Arquivo da tag: celulares

Evento de lançamento da Apple 2016: Como assistir?

SAN FRANCISCO, CA - APRIL 23:  The Apple logo is displayed on the exterior of an Apple Store on April 23, 2013 in San Francisco, California.  Analysts believe that Apple Inc. will report their first quarterly loss in nearly a decade as the company prepares to report first quarter earnings today after the closing bell.  (Photo by Justin Sullivan/Getty Images)

Finalmente chegou a hora! A Apple está perto de anunciar seu novo iPhone, provavelmente um novo relógio e algumas outras coisas que ainda não sabemos.

O evento ao vivo acontece amanhã, 7 de setembro às 6h (por conta do fuso horário!). Se você não recebeu um convite, assim como todos nós – meros mortais, uma transmissão de vídeo ao vivo do evento será disponibilizada pela Apple. Veja abaixo todas as maneiras que você pode assistir o evento.

No navegador

Vá para o endereço apple.com/apple-events/ para assistir a transmissão. O Livestream da Apple funciona em qualquer dispositivo móvel iOS rodando iOS 7 ou superior. Usuários de Mac podem assistir a transmissão no Safari (mas não outros navegadores). Se você tiver o Windows 10, ela vai funcionar somente no navegador Edge.

Na Apple TV

Se você tiver uma Apple TV, poderá ver diretamente no seu aparelho de televisão. A Apple TV terá de ter o software 6.2 ou mais recente, mas irá funcionar não importando o dispositivo. O evento está localizado dentro de “Apple Events” na sua tela inicial. Se você não vê o ícone agora, não se preocupe! Antes do início do evento ele estará disponível.

Empresas que estarão no Evento

Algumas empresas do setor, jornais e convidados farão transmissão ao vivo. A questão aqui é fazer uma boa pesquisa e ver quem estará por lá.

Por exemplo, transmissões via Twitter, Facebook e outras mídias serão comuns. O portal WIRED com certeza estará por lá e é um exemplo de como assistir dessa maneira.

Mais tarde

Se você perder a transmissão, poderá assistir a uma reprise completa do evento no site da Apple logo após o evento. Isso também vai ajudar caso a transmissão ao vivo caia, como já aconteceu uns anos atrás.

Rumores sugerem que iPhone de 16GB deixará de existir

blue-iphone-7-plus-screen-turned-on-1-780x520-725x375

Os modelos de iPhone 16GB podem estar com seus dias contados. De acordo com uma imagem vazada, o novo modelo da Apple, o iPhone 7 será lançado com 32GB de espaço como padrão, também trazendo outras versões de 128GB e a grande novidade de 256GB de capacidade de armazenamento. É um grande sinal de que a Apple está disposta a resolver um dos principais problemas do iPhone: o pouco espaço de armazenamento.

O principal concorrente da Apple está se aproveitando disso para se sobressair: para promover o seu aplicativo Google Photos, que armazena fotos do usuário na nuvem, o Google chegou a mencionar a falta de espaço do iPhone.

https://youtu.be/aEK37MBTUPk

Pode-se ver que a intenção é clara: mostrar como o iPhone fica sem memória nos momentos mais inoportunos. O comercial reitera que o Google Fotos possui armazenamento na nuvem e permite que o usuário capture quantas fotos ele quiser, sem se preocupar com o espaço.

A data prevista para o lançamento do iPhone 7 é no dia 7 de setembro de 2016. Confira a imagem que “confirma” o rumor:

Parece que a opção de 64GB também irá “morrer” e a opção de 128GB irá substitui-lá , enquanto a nova opção de 256GB estará disponível para aqueles que gostam de uma grande capacidade de armazenamento para guardar suas músicas e vídeos. Aparentemente, a Toshiba que irá fornecer esses chips de armazenamento , de acordo com o vazamento – embora a Apple poderia muito bem estar usando outros fornecedores também.

Confira abaixo as fotos do protótipo do iPhone 7:

Esta notícia será música para os ouvidos de quase todos os fãs iPhone – particularmente aqueles que não podem pagar à mais por um dispositivo maior capacidade. Há muito tempo os usuários pedem a “morte” de dispositivos de 16GB, e parece que finalmente vai acontecer. Isto é, se esse vazamento é genuíno, é claro.

Fonte: CultOfMAC

12 perguntas e respostas sobre os celulares 4G

A Anatel realizou, nesta terça-feira, o esperado leilão de frequências para a implantação da telefonia 4G no Brasil.

Com ele, está dada a largada para que os telefones celulares, tablets e demais equipamentos móveis entrem numa nova fase no país. O acesso veloz à internet em qualquer lugar deve levar ao aparecimento de uma variedade de novos serviços. Veja doze perguntas e respostas sobre a telefonia 4G.

1 — Que benefícios o 4G traz para o consumidor?

O benefício principal do 4G é o acesso à internet mais rápido. Essa tecnologia deve permitir, por exemplo, assistir a vídeos de alta qualidade em serviços como YouTube e Netflix, via internet móvel. Também deve melhorar muito o funcionamento de serviços de bate-papo com vídeo, como o Skype.

2 — Na prática, como o 4G se compara ao 3G?

Embora, na teoria, possam chegar a 14,4 megabits por segundo (Mbps), conexões 3G raramente vão além de 2 Mbps. Já a internet via 4G costuma chegar perto de 20 Mbps nos países onde já está disponível. Ou seja, o 4G é cerca de dez vezes mais veloz que o 3G.

3 — Quando o 4G vai estar disponível no Brasil?

As operadoras devem ativar as redes 4G em várias etapas, seguindo um cronograma elaborado pela Anatel. Veja algumas datas:

– Abril de 2013 – Redes 4G devem começar a funcionar em Belo Horizonte, Brasília, Fortaleza, Recife, Rio de Janeiro e Salvador.

– Dezembro de 2013 – É a vez de Cuiabá, Curitiba, Manaus, Natal, Porto Alegre e São Paulo.

– Maio de 2014 – Todas as capitais e outras cidades com mais de 500 mil habitantes devem ter 4G.

– Dezembro de 2015 – O 4G deve chegar aos municípios com mais de 200 mil habitantes.

– Dezembro de 2016 – É a vez das cidades com mais de 100 mil habitantes.

– Dezembro de 2017 – Localidades com mais de 30 mil habitantes deverão ter pelo menos uma operadora com 4G.

4 — Isso significa que, em 2013, todos os bairros de Brasília, por exemplo, terão 4G?

Não. No início, as conexões de quarta geração poderão estar disponíveis apenas nos bairros mais centrais. Com o tempo, a cobertura será estendida a mais lugares.

5 — Todos os celulares são compatíveis com redes 4G?

Não. No momento só alguns modelos de smartphones – como o Galaxy S III, da Samsung, e o Lumia 900, da Nokia – estão disponíveis em versões compatíveis com 4G. Essas versões 4G ainda não estão à venda no Brasil. Mas devem chegar quando as operadoras ativarem suas redes de quarta geração.

6 — Um celular 4G comprado no exterior vai funcionar no Brasil?

Não necessariamente. A telefonia 4G usa faixas de frequência de rádio que não são iguais em todos os países. Assim, é possível que um celular ou tablet 4G comprado em outro país não funcione em 4G no Brasil. O novo iPad, da Apple, por exemplo, não é compatível com a faixa de frequências adotada no Brasil.

7 — Meu celular ou tablet 4G terá acesso à internet via 3G?

Sim. Todos os celulares 4G são compatíveis também com redes 3G e 2G.

8 — Todos os serviços anunciados como 4G são mesmo 4G?

Há discussões sobre isso. Um definição oficial da União Internacional de Telecomunicações (ITU) diz que uma linha 4G deve oferecer acesso à internet a 100 Mbps em deslocamento rápido (num carro ou trem) e 1 (Gbps) imóvel. Mas os serviços atuais chamados de 4G pelas operadoras trabalham em velocidades menores que essas. A ITU já admite chamá-los de “4G”, considerando-os como serviços de transição para futuras redes mais velozes.

9 — Os planos de telefonia 4G serão mais caros que os 3G?

No início, sim. Com o tempo, porém, planos que incluem 4G tendem a se tornar a opção padrão das operadoras, com preços que não se diferenciam muito dos do 3G.

10 — Por que a Anatel teve de fazer um leilão para implantar o 4G?

Para montar uma rede 4G, a operadora precisa ter uma faixa de frequências de rádio reservada para isso. Como as frequências disponíveis são limitadas, a disputa para usá-las é muito acirrada. O espectro de radiofrequências é uma espécie de patrimônio público do país. Assim, faz sentido que as operadoras paguem para usá-lo. O leilão é uma maneira prática de receber esse pagamento e decidir qual operadora tem direito a usar qual frequência.

11 — LTE e 4G são a mesma coisa?

Não. Long Term Evolution ou LTE é uma das tecnologias usadas na implantação de redes de quarta geração. É a que está sendo adotada no Brasil. Em alguns países, existem redes 4G baseadas em outras tecnologias, como WiMAX.

12 — Existem redes 5G?

Há estudos sobre como poderá ser uma rede de comunicações móveis ainda mais avançada que a 4G. Mas o nome 5G é usado apenas informalmente. Não há nenhum padrão de telefonia oficialmente chamado de 5G. Desde que os primeiros celulares surgiram, em 1981, tem aparecido uma nova geração a cada década (2G em 1992, 3G em 2001 e 4G em 2011). Assim, a próxima geração só deve começar a se materializar depois de 2020.

Fonte: Info Online

Assista TV em qualquer lugar

Graças à tecnologia de TV digital, hoje já é possível levar um aparelho de TV literalmente no bolso e assistir seus programas favoritos em qualquer lugar. Estamos falando dos sintonizadores para PC e TVs portáteis, abundantes no mercado nacional e com preços cada vez mais acessíveis.

Há tantos produtos nestas categorias que é impossível falar de todos eles. Portanto, veja abaixo apenas alguns que se destacam.

1-Seg ou Fullseg?

Há dois meios para receber o sinal de TV digital em um aparelho portátil. TVs de bolso como as da TecToy e TELE System, celulares com TV e a maioria dos receptores USB para computadores sintonizam uma transmissão especialmente projetada para dispositivos móveis batizada de 1-Seg.

A imagem não é em alta definição, mas tem qualidade boa o suficiente para exibição em aparelhos com telas de até 5 polegadas. Junto com os programas as emissoras também transmitem uma grade de programação e legendas (closed caption), e fica a cargo dos fabricantes adicionar recursos extras: alguns aparelhos conseguem capturar imagens da tela e até gravar os programas, como um videocassete.

Mas uma imagem 1-Seg não fica bonita em tela cheia em um notebook com tela de 12″ ou mais. Para resolver o problema, os fabricantes criaram sintonizadores “Fullseg”, que captam o mesmo sinal de alta definição recebido pelos aparelhos de TV e decodificadores de mesa.

A imagem é linda e o som é envolvente, mas há um porém: é preciso um micro bastante poderoso para reproduzir vídeo em alta-definição. No mínimo, seu micro deve ter um processador Intel Core 2 Duo de 2 GHz e 3 GB de RAM.

Claro, estes aparelhos de nada vão adiantar se em sua região ainda não há transmissão de TV Digital, já que são incompatíveis com o sinal analógico ainda usado na maior parte do país. Mas se você vive em uma capital ou grande cidade, principalmente nas regiões sul e sudeste, são grandes as chances de encontrar pelo menos uma emissora transmitindo no novo sistema.

Celulares

Celulares equipados com sintonizador de TV Digital não são novidade. É possível encontrar nas lojas vários modelos de fabricantes como Samsung, LG, STI, Nokia e outros. Mas entre todos estes aparelhos, um deles se destaca pelo pioneirismo.

É o LG Scarlet II (também conhecido como GM600), que é o primeiro celular no mercado nacional compatível com a plataforma de interatividade (chamada Ginga) de nosso sistema de TV digital. Isso significa que você não só pode assistir aos programas, como também acessar ao mesmo tempo várias informações relevantes e até participar votando em enquetes.

Por exemplo, durante os jogos da copa do mundo transmitidos pela Rede Globo os espectadores podiam acessar a classificação geral dos times, escalação, estatísticas de jogo (tempo de bola parada, número de cartões, etc) e conferir o placar. Tudo com alguns toques na tela. O uso do aplicativo é gratuito, exceto pela participação em enquetes, que custa o mesmo que uma mensagem SMS.

Além disso, o GM600 também tira boas fotos (desde que haja luz suficiente), tem rádio FM e MP3 Player e pode gravar os programas de TV em um cartão de memória, funcionando como um videocassete de bolso.

TVs de bolso

A segunda categoria de aparelhos portáteis são as TVs de bolso. Elas tem telas de 3.5 polegadas, bateria interna com autonomia para cerca de quatro horas de programação em média e frequentemente recursos extras como MP3 Player ou Rádio FM.

Pocket TV, da TELE System (R$ 520): Uma das melhores TVs de bolso. É fininha (1 cm de espessura) e se destaca da concorrência por poder gravar os programas em um cartão de memória SD, como se fosse um videocassete. Também funciona como MP3 Player e Video Player, mas não tem Rádio FM, o que pode ser um incômodo para os fãs do futebol.

TDP-200, da TecToy (R$ 399): É versátil e além de TV tem Rádio FM, MP3 Player, Video Player, mostra fotos, exibe arquivos de texto (e-Books) e tem dois jogos. Mas a autonomia de bateria é menor que a do modelo da TELE System, e não grava os programas. Em compensação, custa menos.

Sintonizadores USB

São aparelhinhos similares a pendrives que se conectam a uma porta USB e captam as transmissões de TV graças a uma antena interna ou, em alguns modelos, antena externa opcional. A maioria dos modelos só sintoniza as transmissões 1-Seg, mas há opções mais sofisticadas (e caras) capazes de sintonizar as transmissões em alta definição.

Há literalmente dezenas de opções no mercado, estes são dois dos modelos mais interessantes:

UB400-i, da K-World (R$ 109): O nome é complicado, mas o atrativo é claro: é o menor sintonizador de TV digital USB no mercado, com apenas 4,7 cm de comprimento. Só sintoniza as transmissões 1-Seg, mas vem com software que permite gravar seus programas favoritos no PC (inclusive com gravação agendada), tem controle remoto e antena externa opcional. E o preço é bastante acessível.

TV Duos, da Visus (R$ 299): Se destaca por captar o sinal de TV Digital em alta definição e permitir assistir dois canais ao mesmo tempo, com o recurso de PIP (Picture in Picture). É possível até mesmo assistir um canal enquanto grava a programação de outro. Entretanto, é necessário um PC poderoso para tirar proveito desta função, equipado ao menos um processador Intel Core 2 Duo de 2 GHz e 3 GB de RAM.

Dicas

Imagem perfeita: se o sinal de TV Digital não for forte o suficiente, sintonizadores e TVs portáteis podem ter problemas na reprodução dos programas, com engasgos na imagem ou no áudio. Tente mantê-los próximos a locais “abertos”, como uma janela, e se julgar necessário experimente uma antena externa.

A maioria dos modelos vem com uma antena que pode ser colocada sobre a mesa, ligada ao aparelho com um cabo de cerca de 2 metros. Outros vem com adaptador para ligação a uma antena UHF. Você sacrifica a mobilidade, mas pode ser o suficiente para melhorar bastante a recepção.

Olho na bateria: o uso de um sintonizador USB aumenta o consumo de energia, e portanto reduz a autonomia de bateria de um notebook, e as TVs de bolso tem autonomia entre quatro e seis horas apenas. Navegar na internet enquanto assiste TV, ou ficar ouvindo MP3 na TV portátil, consome ainda mais energia e reduz a autonomia. Se estiver longe de uma tomada, concentre-se só na TV para não correr o risco de ficar sem energia.

Bluetooth econômico promete não “detonar” baterias

Uma nova geração de aparelhos com Bluetooth deve chegar ao mercado em breve com a nova tecnologia de baixo consumo de energia. Conhecido por “detonar” a bateria dos dispositivos onde são acionados, o Bluetooth agora poderá ser bem visto e bem vindo em uma vasta diversidade de dispositivos.

Com a nova perspectiva de baixo consumo, o Bluetooth 4.0 pode facilmente ser embutido em dispositivos como relógios, controles remotos e uma série de sensores médicos e residenciais, explica o site TG Daily.

Segundo a Inform, empresa responsável pelo novo padrão Bluetooth, a versão de baixo consumo de energia deve ficar pronta dentro de alguns meses, e pode chegar ao mercado a tempo das festas de fim de ano.

“[A economia de energia] vai possibilitar um novo mercado para o Bluetooth e permitirá que ele seja utilizado em uma categoria de dispositivos na qual isso não fora possível anteriormente”, afirma Michael Foley, diretor executivo da Bluetooth Special Interes Group, em entrevista ao site The Inquirer. Relógios de pulso, por exemplo, poderiam avisar sobre chamadas telefônicas, mostrando inclusive o número de quem liga.

O único porém é que infelizmente a nova versão do Bluetooth não será compatível com o atual, fazendo com que os novos dispositivos e aparelhos dotados da versão de baixo consumo não consigam se conectar com os atuais.

Fonte: Geek